Marcelo Magoga

Paixão

O amor a primeira vista não ocorre mas a paixão. Algo mais instintivo, quase “animal” mesmo. Aspectos como o cheiro e atributos físicos desencadeiam uma reação imediata e nos faz apaixonar por alguém.

“Foi amor a primeira vista” é algo comumente ouvido mas equivocada pois somente a paixão pode acontecer a primeira vista, a atração física. Com uma explicação nada romântica envolvida: química. O odor, físico e voz desencadeiam resposta química imediata que corresponde a paixão, que pode ou não resultar em amor, mas na maioria das vezes o que ocorre nas pessoas é apenas atração sexual pura e simples.

As referencias culturais e sociais são diferencias que levam a escolha de um parceiro ou parceira para relação mais estável.

Os hormônios sexuais e neurotransmissores são parte de uma alquimia que ocorre no sistema nervoso e cerebral, que faz a pessoa passar por vários estágios do relacionamento amoroso: desejo, paixão e ligação, este ultimo o desejo de uma conexão mais aprofundada e estável.

Há também influencia dos cinco sentidos, todos tem a capacidade de receber estímulos sexuais fornecendo importantes informações quando se está interessado em uma pessoa ou se já esta em relacionamento.

A primeira fase é marcada por atração sexual muito importante, é o inicio, onde a pessoa se deixa levar pela emoção, livre de obstáculos mentais ou mesmo emocionais, é a fase do desejo sexual. Nos homens os níveis de testosterona aumentam e o estrógeno nas mulheres, além de oxicitocina e dopamina aumentarem em ambos e baixando o cortisol, hormônio responsável pelo estresse alto. Mas todos esses hormônios se normalizam no decorrer do tempo.

O olfato e a visão nesta fase são fundamentais pois possibilitam os parceiros a verificarem o quanto se sentem atraídos pelo parceiro ou parceira, se haverá o desejo sexual durante a relação afetiva mais estável.

Como os animais há estudos que os seres humanos também tem a capacidade de identificar os genes dos parceiros através do odor, são os feromônios, palavra derivada do grego, fero significa transportar e hormona excitar, assim em uma tradução livre odores transportadores de excitação, é uma reação do nosso organismo aos sinais químicos liberados pela outra pessoa que nos faz sentir atraído ou repulsa por ela.

Para a paixão acontecer entre dois indivíduos entram outros sentidos os quais influenciam na evolução da relação para a paixão, a audição, o olfato e a visão por exemplo ajudam a determinar se há atração sexual por aquela pessoa, esses sentidos fazem uma espécie de triagem e se o conjunto não estiver em harmonia, por exemplo, há ate atração pela pessoa mas o timbre da voz não agrada, então não haverá uma paixão.

Paixão e Obsessão

E se o relacionamento não der certo no final? Você passará por tudo novamente, na próxima vez!

A paixão é um estado de fascinação, de luxúria e de obsessão, passa-se da fase da atração para a paixão à procura de uma superação, libertação de um estado de tédio, é a fase das borboletas na barriga, das mãos suadas, do pensamento sempre preenchido pelo outro, há especialistas que dizem durar aproximadamente dois anos essa fase.

Essa obsessão pode levar o apaixonado a se descuidar de toda a sua vida, levar a não comer, faltar ao trabalho, ignorar os familiares e amigos, mas nem tudo é negativo as substâncias químicas que se libertam nesta altura e que dão a sensação de bem-estar, como a dopamina ou a serotonina, também se esgotam passado uns meses aproximadamente. Dão lugar a outras, como a oxitocina e a vasopressina, que nos fazem sentir calmos, seguros, confortáveis e unidos emocionalmente. Esta é a fase em que uma pessoa se sente recompensada e estável, é a fase da ligação, a conexão.

Beleza Conta?

Porque olhamos para uma pessoa e não para outra? Temos os mesmos padrões de beleza? Claro que não, cada um tem sua percepção de beleza, seu padrão particular que são influenciadas pelas referencias culturais e sociais, experiencias pessoais e familiares também.

Já dizia Freud: “no amor procuramos os exemplos que temos em casa, ao nível da segurança e da estabilidade”.

Mas existe um denominador comum no processo de seleção de parceiros, procuramos a pessoa geneticamente mais apropriada para produzir a melhor descendência possível e isso pode dar-se espontaneamente através dos cheiros que imanamos, havendo ainda fatores históricos, a mulher procurará sempre um guerreiro, de ombros largos e musculoso que saiba cuidar da família, e o homem uma mulher de quadris largos, com características que lhe permitam deixar descendência.

E como ficam nossas emoções:

                       Como essa Montanha Russa! Então Bem Vind@ à Vida!